Quinta-feira, 17 de Abril de 2008

Palácio da Pena

No século XVI, D. Manuel I mandou construir o convento de madeira para a Ordem de São Jerónimo mas no século XVIII, um raio destruiu parte da torre, capela e sacristia, ou seja, pouco tempo antes do desastroso terramoto de 1755, que deixou o convento em plena ruína. O Terramoto de 1755 foi tão forte que devastou Lisboa e os arredores e o Palácio da Pena caiu em ruínas. Apenas a Capela, na zona do altar-mor, com o magnífico retábulo em mármore, permaneceu intacta.

O príncipe D. Fernando ficou encantadíssimo com as ruínas no topo da Serra e em 1838, decidiu adquirir o velho convento, a cerca envolvente, o Castelo dos Mouros e quintas e matas circundantes. Tornou-se assim um ponto alto do romantismo europeu. O monumento actual foi mandado edificar por D. Fernando de Saxe Coburgo-Gota, casado com a Rainha Maria II em 1836.D. Fernando ficou “enamorado” de Sintra, era um homem sensível, com muita cultura e uma educação muito cuidada. Assim no cumprimento de uma promessa, ordenou a sua reconstrução de raiz, em homenagem a Nossa Senhora da Pena, doando-o de volta à Ordem dos Monges de São Jerónimo.

Em 1840 D. Fernando decidiu ampliar o Convento de forma a construir um verdadeiro castelo romântico, que se tornaria a residência de verão da família real portuguesa.

Devido à grande área que adquiriu pensou mandar plantar um magnífico parque à inglesa com as mais variadas, exóticas e ricas espécies arbóreas. Desta forma, Parque e Palácio da Pena constituem um espaço muito bonito e muito agradável.

O Palácio Nacional da Pena, também conhecido simplesmente por Palácio da Pena ou por Castelo da Pena, localizado na histórica vila de Sintra, representa um dos pontos mais altos do Romantismo arquitectónico do século XIX em Portugal. É o primeiro Palácio Romântico da Europa, construído 30 anos antes do carismático Schloss Neuschwanstein, na Baviera, Alemanha.

publicado por Mary às 21:32
link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Época Medieval

. Poesia trovadoresca

. Historiografia

. Época Clássica

. Poesia épica

. Teatro

. Prosa religiosa barroca

. Época Romântica

. O romance histórico

. A prosa realista e a Gera...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds